quarta, 17 de abril de 2024

Ourinhense é vítima de golpe do falso intermediário e perde R$ 4 mil

Esta é a segunda ocorrência registrada nesta semana que contou ainda com outras tentativas de golpes

 

Da redação

 

Foi registrado na CPJ de Ourinhos, na quarta-feira, 12/4, mais um golpe do falso intermediário, onde um rapaz de 26 anos teve um prejuízo de R$ 4.000 durante a negociação de uma moto. Este é o segundo caso na mesma semana, sendo que no primeiro, a vítima perdeu R$ 16.000.

 

 

De acordo com o boletim de ocorrência, na tarde da quarta-feira, a vítima viu no facebook um anúncio sobre a venda de uma moto Honda CG 125 ano 2013, preta, de Ourinhos, que estava sendo vendida por R$ 4.300,00. Interessado, ele mandou mensagem ao vendedor e um homem que se identificou por Daniel Santos entrou em contato via whatsapp, perguntando se havia interesse no veículo.

Disse também que se a vítima quisesse ver a moto era para procurar um suposto primo seu, de 36 anos, que na verdade era o dono da moto. Disse ainda que não poderia ir pois estava trabalhando e que não era para falar sobre o valor com o primo, pois ambos já tinham combinado o valor e se houvesse alguma dúvida era para se identificar como sendo “o pedreiro do Daniel”.

O rapaz foi então se encontrar com o tal “primo” em uma cerâmica na Rodovia Melo Peixoto – SP 278, em Ourinhos, onde estava a moto e juntos se dirigiram a um mecânico para uma avaliação do veículo.

O profissional afirmou que estava tudo ‘ok’ com a moto e a vítima chegou a dar uma volta no quarteirão, combinando em seguida com o ‘primo’ que iria guardar seu carro e depois poderiam fazer a transferência da moto.

Enquanto o possível comprador ia para casa guardar seu carro, recebeu uma ligação de Daniel dizendo que era para ele fazer o PIX se fosse ficar com a moto, caso contrário ele não liberaria o veículo. A vítima então fez a transferência e depois foi ao despachante junto com o suposto primo.

No despachante o comprador recebeu uma mensagem de Daniel dizendo que a vítima tinha caído em um golpe, que ele estava preso, que era da OLX.

Questionado sobre a situação, o tal primo disse que não conhecia Daniel pessoalmente, que eles haviam conversado pelo WhatsApp e que foi orientado a dizer que era “primo de Daniel”.

Diante dos fatos a vítima resolveu registrar um boletim de ocorrência, apresentando os prints das conversas e do comprovante de transferência que foi efetuado em nome de Valdemir Bernardo de Jesus, do Banco Neon pagamentos S/A.

 

Também na tentativa de adquirir um veículo mulher perde R$ 16.000

Na segunda-feira, 11/4, interessada em adquirir uma camionete, uma mulher de 56 anos, moradora da região, viu um anúncio também no facebook sobre uma VW Saveiro no valor de R$ 19.000 e entrou em contato com o suposto vendedor pelo fone (14) 99903-5313, sendo que o mesmo se identificou por Mizael, irmão de R.A., dono do veículo. As partes negociaram e fecharam o negócio.

Mizael então convenceu a mulher a vir para Ourinhos para ver o veículo. Já na cidade a vítima procurou por R.A., viu o veículo, porém o homem disse que só assinaria o recibo após o dinheiro cair em sua conta bancária.

A mulher realizou o pagamento via pix de R$ 16.000 e o vendedor ficou aguardando o dinheiro cair em conta. Devido a demora, ele questionou a mulher sobre o valor que ela estava pagando pelo veículo. Ao ser informado sobre os R$ 16.000 ele desconfiou que fosse um golpe, momento em que se dirigiram à delegacia.

A vítima registrou o boletim de ocorrência, apresentando ainda os prints das conversas com o golpista, o comprovante de depósito, mas não conseguiu recuperar o dinheiro.

 

FIQUE LIGADO – Em um outro caso, uma moradora do Jardim Ouro Verde recebeu mensagem pelo WhatsApp de sua filha, que lhe pediu que fizesse um PIX no valor de R$ 3.000 para uma conta do PagSeguro em nome de Micaela Marques, porém a vítima desconfiou e não efetuou o depósito, procurando pela filha que negou o pedido. A mulher foi então até a CPJ e registrou a tentativa de golpe.

 

INVASÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS – A proprietária de uma petiscaria em Ourinhos, teve seu dispositivo móvel clonado e criminosos passaram a usar seu número para anunciar uma suposta promoção. Uma moradora da Vila Margarida procurou a Central de Polícia Judiciária de Ourinhos e registrou um boletim de ocorrência, onde conta que recebeu uma ligação divulgando um suposto sorteio que seria realizado pela empresa Petiscaria Major, e que para concorrer a R$ 1.000,00 ela deveria digitar um código fornecido durante aquela ligação.

Por frequentar a lanchonete, a mulher digitou os números fornecidos e imediatamente perdeu acesso ao seu WhatsApp. Logo teve notícias de que estavam usando seu app para pedir dinheiro a seus contatos.

O mesmo aconteceu com um outro cliente da petiscaria, que recebeu o mesmo tipo de ligação telefônica, e acreditou estar participando da tal promoção, digitando os números sugeridos. Ele também perdeu o acesso a seu aplicativo de WhatsApp e seus contatos passaram a receber pedido de dinheiro em seu nome.

Os proprietários da petiscaria estão divulgando em suas redes sociais um alerta para que outros clientes não sejam lesados.

 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.