sábado, 20 de abril de 2024

Suspeito de decepar patas de cachorro confessa crime no Interior de SP

A tutora do cachorro encontrou o animal sem as patas traseiras ao chegar do trabalho, em Balbinos (SP). Uma delas foi encontrada em frente ao portão da casa.

 

Da redação

 

Na cidade de Balbinos, um terrível ato de crueldade chocou a comunidade local. No dia 7 de setembro, uma tutora de um cachorro da raça Fox Paulistinha chegou em casa e fez uma descoberta: seu pet, chamado Uísque, estava sem as patas traseiras. Uma das patas foi encontrada abandonada em frente ao portão de sua residência.

 

 

A revolta e a indignação tomaram conta da família, que rapidamente acionou as autoridades para investigar esse ato bárbaro. Na última segunda-feira (11), o caso foi registrado oficialmente pela Polícia Civil, e as investigações começaram a avançar.

Um homem de 42 anos, morador da região, acabou confessando o crime. Durante uma investigação, a polícia apreendeu um facão de corte de cana que teria sido utilizado de forma cruel.

A tutora de Uísque, uma mulher de 40 anos, tomou a decisão de fazer uma eutanásia para poupar o animal do sofrimento. Segundo ela, ao chegar em casa ela viu o rastro de sangue deixado pelo cachorro, que se arrastou da calçada até a edícula da casa, e o levou imediatamente a uma clínica veterinária.

A família relatou que Uísque era um cão dócil e amado, vivendo com eles por cerca de cinco anos. Não houve nenhum motivo aparente para o ato de violência que levou à mutilação do animal.

O réu confesso responderá responder pelo crime de abuso contra animais, o que está previsto por lei. A pena para quem comete esse tipo de crime contra cães ou gatos varia de dois a cinco anos de prisão, além de multa. No caso de tutores de animais, a lei prevê também a perda da guarda do animal.

 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.