segunda, 15 de abril de 2024

E O PASCHOAL SE FOI…

Deus o designou para registrar os fatos em outras dimensões

 

Rose Pimentel Mader

 

Numa certa tarde chuvosa (não lembro o ano, claro), lá fomos nós, eu e o Paschoal registrar mais um acidente numa das rodovias na região. E fomos de fusca, detalhe, cujo parabrisa não estava funcionando. A missão era triste, íamos nos deparar certamente com a morte, mas no caminho o espirituoso Paschoal, vendo a minha aflição e dando risada, soltou logo: fica calma que vai dar tudo certo, não vamos virar notícia. Não dessa vez!

Não viramos nessa e nem nas incontáveis vezes que percorremos as rodovias da nossa região, registrando tantas tragédias humanas.

E foi assim, durante 20 anos de convivência no Jornal da Divisa, o Paschoal sempre junto comigo ou com os outros colegas de redação, reportando fatos, cobrindo e registrando eventos em todas as áreas. Uma longa e intensa trajetória profissional, na época dos jornais impressos e no caso do JD diário. Foi um grande, imenso desafio em nossas vidas. Mas posso dizer que saímos vitoriosos.

Foi um aprendizado extraordinário, não só de jornalismo como de vida!

Mas esta semana, o destino escreveu diferente e a notícia era o Paschoal, o Paschoal do Jornal, o Paschoal fotógrafo, o Paschoal do Tribuna, partiu para os braços do Pai. E quero acreditar que foi sorrindo!

Mas as lágrimas e a tristeza não podem ser maiores do que o sentimento que levamos na alma, no coração.

Aos 56 anos de idade, depois de lutar bravamente durante 40 dias no leito da Santa Casa, nosso querido amigo e parceiro da imprensa descansou. Ganhou certamente um lugar privilegiado ao lado do Pai e digo que foi muito bem recebido pelos amigos que partiram antes.

Paschoal foi guerreiro até neste momento, tendo sempre ao lado a amada Adriana Aurélio, os filhos Leonardo e Felipe, a neta, os irmãos, cunhados e a tão querida mãe!

A ausência física vai doer e a saudade será eterna para a família e os amigos.

E mesmo num momento tão doloroso, acho que o Paschoal gostaria que recordássemos os bons momentos e o seu legado como profissional da imprensa.

Paschoal deixou um portfólio de imagens fantástico que certamente conta boa parte da história de Ourinhos e região. Foram 30 anos no JD e 11 anos no Tribuna. Imagens que retrataram o nosso cotidiano e tudo o que vivenciamos, em todas as áreas da vida comunitária. Imagens que falam de evolução e de transformação, registros de momentos históricos e inesquecíveis.

E não vão faltar histórias e estórias para recordarmos….

O Paschoal entendia de tudo de jornal e em tudo colocava sua opinião. Em se tratando da relação jornalista e fotógrafo, isso no século passado, eram mais que naturais alguns desentendimentos, claro. E o diálogo era simples e direto: Paschoal você cuida da imagem e eu cuido do texto, estamos conversados…

E assim seguimos pela estrada da vida, trabalhando juntos, brigando, sofrendo, rindo muito e fazendo história.

Quantos pastéis com Tubaína no famoso Bar Ipiranga… comigo e com todos os colegas da redação…

Quantas festas e quantas torcidas organizadas…

Quantos amigos não tão secretos…

E os inesquecíveis finais de ano…

E quantas situações embaraçosas e hilárias.

Teve aquela vez que quase despencamos de um caminhão de som…

O dia que Paschoal quase apanhou na Santa Casa dos irmãos do cantor Jessé (que morreu num acidente na região).

E aquele dia que você me alertou: tem certeza de que vai fazer mesmo essa pergunta. O político (não era de Ourinhos), claro, virou para mim e disse “você não é uma rosa e sim um espinho”. E o Paschoal observando e dando risada, mas no final ficou tudo bem. O ilustre acabou me abraçando. Sabia que a pergunta era coerente.

E os diários da Fapi! A gente trabalhava dia e noite, noite e dia! E o Paschoal, logo cedo, saía orgulhoso distribuindo. Sabia do valor do esforço de todos nós da redação, da diagramação e da impressão.

E teve muitos momentos que choramos juntos (todos nós do JD), quando a notícia era dolorida demais.

E assim fomos caminhando e lutando…

Seguimos cada qual (todos nós da redação e do JD) novos caminhos e o Paschoal também construiu um novo futuro e a ele se dedicava arduamente.

E esta semana Deus chamou o Paschoal…

Missão cumprida guerreiro!

Gratidão eterna Paschoal, pela amizade e parceria!

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.